Aninha era uma menina curiosa. Como, aliás, o são muitas crianças da sua idade.

Descobriu que uma lagarta, da qual afastara-se por nojo, prendeu-se ao ramo de um arbusto do jardim e torna-se um casulo.

Um dia, uma pequena abertura apareceu no casulo. Aninha observou-o por longo tempo até que…

… pela abertura apareceu algo mexendo-se. Ficou vendo a borboleta — pois a professora lhe dissera que sairia uma borboleta! Esta esforçava-se para sair através daquele pequeno buraco. Em certo momento a borboleta parou de esforçar-se. “Teria se cansado?”, pensou Aninha.

Pareceu ter parado de fazer qualquer progresso. Parecia que ela tinha ido o mais longe que podia, e não conseguia ir mais. Então Aninha decidiu ajudar a borboleta. Pegou uma tesourinha e cuidadosamente cortou o restante do casulo. A borboleta então saiu facilmente. Mas seu corpo estava murcho, era pequeno e as asas estavam amassadas. Aninha continuou a observá-la, pois esperava que a qualquer momento as asas dela se abrissem e a borboleta começasse a voar.

Nada disso ocorreu! Na verdade, a borboleta passou o resto de sua vida arrastando um corpo murcho e asas encolhidas. Nunca foi capaz de voar. Aninha, em sua vontade de ajudar, não compreendia que o esforço necessário para passar através da pequena abertura era o modo pelo qual Deus fazia com que o fluido do corpo da borboleta fosse para as suas asas, de forma que ela estaria pronta para voar uma vez livre do casulo. Por isso o que devia ser uma linda borboleta a esvoaçar, permanecera quase um verme, disforme e inútil.

Algumas vezes algo semelhante acontece em nossa vida: é justamente o esforço que precisamos fazer.

Se Deus nos permitisse passar através de nossas vidas sem quaisquer obstáculos, Ele nos deixaria aleijados. Não iríamos ser tão fortes como poderíamos ter sido. Nós nunca poderíamos “voar”.

Aí, a gente compreende que:

Eu pedi forças… e Deus me deu dificuldades para fazer-me forte.

Eu pedi sabedoria… e Deus me deu problemas para resolver.

Eu pedi prosperidade… e Deus me deu inteligência e músculos para trabalhar.

Eu pedi coragem… e Deus me deu pessoas com problemas para ajudar.

Eu pedi favores… e Deus me deu oportunidades.Eu não recebi nada do que pedi… mas recebi tudo de que precisava.